RESENHA: SCULPTURE - To Another Place (2018)
02/05/2018 - 18h43 em Resenhas

 

 

SCULPTURE - To Another Place

Label: Hammer of Damnation - Clique aqui para acessar o site 

 

 

HISTÓRICO

Oriundo do ABC paulista, o SCULPTURE é um projeto instrumental formado por Willian Marante (Obscure Mind, Lost Graveyard, etc.) e Victor Prospero (Necromesis, Evil Mayhem, etc.) com a proposta de, através de estudos, criar uma música instrumental com boas melodias, sem abdicar do peso e da agressividade.

Em 2018 seu primeiro álbum, "To Another Place", será lançado pela HAMMER OF DAMNATION

 

ANÁLISE

Álbuns instrumentais não são comuns no Metal Extremo. As pessoas foram condicionadas a associar as melodias e arranjos às letras. Pensando assim, podemos dizer que "To Another Place" chega para quebrar qualquer paradigma. E o faz com brilhantismo.

O disco abre com a bela "Turn the Page of Time" onde a SCULPTURE convida seus ouvintes a virar as páginas lidas anteriormente e mergulhar uma proposta diferenciada. 

A já conhecida "Through Infinite Horizons" inicia uma viagem muito bem conduzida pela banda. São tantos elementos inspiradíssimos que torna-se uma tarefa impossível chegar ao final desta música de tanto que queremos saborear os detalhes. De começo rápido (onde uma técnica apuradíssima estoura pelas caixas de som), há tantas variações de andamento e clima (inclusive com trechos "jazzísticos") que fazem desta um dos destaques do álbum.

Poderia aqui criar associações com bandas conhecidas, mas, com isso, não teria compreendido a proposta de "To Another Place": Um álbum onde percebemos as influências diversas do duo mas que é impossível classificá-los em algo (ou rótulo) já conhecido.

"Voices to Unconscious Revelations" mantém a mesma pegada: De início rápido, onde a exímia técnica  mostra que ainda é possível inovar no metal extremo. Que Willian Marante e Victor Prospero são excelentes músicos, sabemos. Agora, que essa união foi tão perfeita a ponto de momentos como esse é algo ímpar. Preste atenção no que acontece logo após os 2'40". Totalmente surreal!

A sublime introdução de "Fragments of Deep Reflections" prenuncia os momentos inesquecíveis que teremos pela frente. Outro grande destaque do álbum, esta faixa é, sem dúvidas, uma das que melhores definem o que é a SCULPTURE: Excelentes ideias executadas por pessoas extremamente talentosas que apreciam, antes de tudo, a originalidade que a música pode exercer. 

O nível continua elevadíssimo em "In the Echoes of the Centuries" (uma das mais extremas do álbum e também uma das mais progressivas - mostrando como conseguiram aliar influências tão distintas em uma música). Outra faixa conhecida, "A Journey to the Empty and Perennial Silence", encerra o álbum de forma magistral. São pouco mais de seis minutos onde vamos do Black ao Heavy Metal em questão de segundos. E essa transição acontece de forma natural, como nas seis faixas que compõem o álbum.

 

 

DESTAQUES

A primeira coisa que chama atenção é a coesão dos músicos. Álbuns instrumentais geralmente funcionam como massagem no ego de seus criadores. Não é o que vemos aqui. "To Another Place" é um disco feito por dois apaixonados por Metal mas, acima de tudo, dois apaixonados por música.

E toda a construção dessas influências está presente em cada nota desse álbum. Supremo! Poucos são os álbuns hoje em dia onde ouvimos tanta técnica à serviço de tanta inspiração. Linhas de baixo e guitarras que funcionam perfeitamente, onde percebemos influências dos membros em todos os instrumentos gravados (e não apenas nos seus de origem).

Outro ponto que merece menção honrosa é a parte gráfica. Uma obra dessas só é grande pois foi concebida de forma completa. Durante quatro anos a SCULPTURE não só "construiu" sua identidade como pensou em como esse material seria apresentado aos ouvintes.

E a HAMMER OF DAMNATION comprou a ideia de forma brilhante ao apresentar uma obra-prima em forma visual. Ao ver o encarte, o acabamento, a beleza da capa, percebemos que estamos, de fato, diante de uma obra-prima que transcende o fator música.

 

 

VEREDITO FINAL

De tempo em tempo surgem obras que marcam a história do underground devido sua qualidade. Ou pela sua originalidade. Ou pela extrema atitude que possui. "To Another Place" é um disco que contém tudo isso e muito mais.

Há tempos não ouço algo tão extremo, sublime e especial. Estamos diante de um disco que eleva o conceito da música.

Estamos diante de uma verdadeira peça de arte.

 

 

(Daniel Aghehost)

 

 

 

Track-List

 

1.Turn the Pages of Time

2.Through Infinite Horizons

3.Voices to Unconscious Revelations

4.Fragments of Deep Reflections

5.In the Echoes of the Centuries

6.A Journey to the Empty and Perennial Silence

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!